Tarifa do Pix existe? Descubra de uma vez por todas

Apesar de ser gratuito para a maioria das pessoas, atualmente existem alguns grupos que pagam tarifa do Pix. São eles:

  • Pessoa Jurídica
  • Microempreendedor 
  • Empreendedor individual

Como deu para notar, no geral, quem paga taxa no Pix são pessoas que vendem produtos ou serviços através do sistema do Banco Central. Além disso, o montante a pagar de tarifa também varia bastante de acordo com o nível de uso.

Cada banco tem a liberdade de cobrar uma tarifa do Pix diferente nos casos em que isso é permitido. No geral, a taxa varia de 0,99% até 1,49%. No entanto, existem instituições que preferem não cobrar os usuários. O RecargaPay é uma delas, que nunca cobra taxas.

Além disso, existem certos casos e exceções para todas as cobranças ao fazer e receber Pix. Portanto, no artigo a seguir, vamos explorar todas as situações para que você entenda se corre ou não o risco de ter de pagar uma tarifa!

BC te Explica #12 – Quando é que tem Tarifa no Pix?

Quando pode acontecer a cobrança da tarifa do Pix?

Quando pode acontecer a cobrança da tarifa do Pix?

De acordo com a resolução BCB nº19 de 1/10/2020, não existe cobrança de tarifa do Pix para transações feitas por Pessoas Físicas, Empreendedores Individuais e MEIs (Microempreendedores Individuais). Entretanto, há uma exceção para essa regra.

Quando o uso do Pix é configurado como uma situação de “compra e venda”, ou seja, quando o sistema é utilizado comercialmente, os bancos podem cobrar uma tarifa desses usuários. Veja a seguir as condições para essa situação ser configurada:

  • Recebimento de mais de 30 Pix por mês (via inserção manual, chave, Pix QR Code estático ou serviço de iniciação de transação de pagamento)
  • Recebimento via QR Code Dinâmico
  • Recebimento via Pix QR Code de pagador Pessoa Jurídica
  • Recebimento em conta definida em contrato como de uso exclusivo para fins comerciais

Quando essas situações acontecem, então o sistema do Banco Central entende que o Pix está sendo usado para fins comerciais e libera a cobrança de tarifas (que é feita pelos bancos e instituições financeiras). Além disso, Pessoas Jurídicas também podem pagar taxa ao usar o Pix.

Vale lembrar que não há taxa para Pessoas Físicas que usam o sistema normalmente e sem uso comercial. Inclusive, não há qualquer plano para essa cobrança acontecer. Em entrevista à GloboNews (via IG), o Ministro da Fazenda, Fernando Haddad, confirmou que o governo não tem qualquer plano de taxação do Pix para Pessoas Físicas:

Não há nenhuma possibilidade do governo taxar operações do Pix. Temos de ir na direção contrária, garantir cada vez mais desenvolvimento a crédito

Como evitar a tarifa do Pix?

Como evitar a tarifa do Pix?

Agora que você já sabe que existe uma tarifa que pode ser cobrada, provavelmente busca por maneiras de evitá-la. Afinal, uma das vantagens do Pix é ser gratuito. Também sabendo sobre qual a idade para criar um Pix, sendo disponível para jovens e adolescentes, inclui mais pessoas para utilizar os serviços e aproveitar as vantagens do serviço.

Entretanto, é importante ter em mente que não há como fugir dela — caso você esteja entre os casos em que a cobrança é permitida.

Por determinação do Banco Central, cada instituição pode cobrar taxa de transferêcia do Pix dentro dos limites estabelecidos (que veremos mais a seguir). Além disso, as instituições devem avisar ao usuário o valor da taxa antes da transação ser feita, de modo que a pessoa esteja ciente desse fato (especialmente porque nem todos sabem que a taxa existe).

Além disso, a taxa deve aparecer também no extrato do Pix e no extrato da conta do usuário, para que ele possa consultar quando quiser.

Uma da maneiras de tenta evitar a tarifa do Pix é usar o sistema com instituições que não cobram a taxa mesmo quando poderiam. Nós só conhecemos uma instituição que faz isso: o RecargaPay. O app tem política de Taxa 0 nas transações mesmo quando poderia cobrar.

Como não Pagar TARIFA de PIX na Conta PJ? Itaú | Santander | Bradesco | BB e Caixa

Qual o valor da taxa do Pix para pessoas jurídicas?

Qual o valor da taxa do Pix para pessoas jurídicas?

O Banco Central não estipulou um valor específico para a cobrança da tarifa do Pix. Por isso, cada instituição financeira pode cobrar o valor que deseja, o que significa que as taxas podem variar bastante.

O RecargaPay é uma das poucas instituições financeiras que não cobra uma tarifa do Pix. Entretanto, isso não é comum, já que a maior parte dos bancos realmente faz a cobrança quando tem autorização para isso.

Veja a seguir os valores médios cobrados pelos principais bancos:

Tarifa do Pix para enviar dinheiro

  • Banco do Brasil: 0,99% da transação, com mínimo de R$1 e máximo de R$10
  • Bradesco: 1,40% da transação, com mínimo de R$0,90 e máximo de R$9
  • Itaú: 1,4% da transação, com mínimo de R$1,75 e máximo de R$9,60
  • Santander: 1% da transação, com mínimo de R$0,50 e máximo de R$10.

Tarifa do Pix por recebimento

  • Bradesco: 1,40% por transação, com mínimo de R$1,65 e máximo de R$145
  • Banco do Brasil: 0,99% por transação, com máximo de R$140
  • Itaú: 1,45% da transação, com mínimo de R$1 e máximo de R$150
  • Santander: R$6,54 por QR Code ou 1,4% no checkout, com mínimo de R$0,95

Para quem sabe como o Pix funciona, entende que o Banco Central faz constantes atualizações no serviço e mudanças nas regras. Portanto, pode ser que a cobrança de taxa do Pix para empresas possa sofrer mudanças e atualizações com o tempo.

Qual a taxa do Pix para pagamento com cartão de crédito?

Qual a taxa do Pix para pagamento com cartão de crédito?

Outra forma de pagar tarifa no Pix é através do Pix com cartão de crédito (nesse caso, o dinheiro da transação não sai da conta bancária, mas sim do saldo do cartão). Nesse caso, por ser uma operação de crédito, há cobrança de taxas — mas cada instituição cobra seu próprio valor.

O RecargaPay é um dos bancos e carteiras digitais com menor taxa no parcelamento do Pix: apenas 3,49% para usuários Prime+ e 3,99% para os demais. Tudo isso com possibilidade de parcelamento em até 12x.

RecargaPay – Como Fazer Pix e pagar contas com Cartão de Crédito [Na Prática]

Existe taxa no Pix Saque?

Existe taxa no Pix Saque?

Sim. O Pix Saque e Pix Troco já movimentaram mais de R$240 milhões em apenas 9 meses de existência e alguma parte desse montante deve ter pago uma tarifa sim.

No geral, todos os usuários que usam o Pix Saque ou Troco podem fazer até 8 transações gratuitas. Depois disso, é necessário pagar uma tarifa entre R$0,25 até R$0,95 quando se vai fazer um Pix Saque ou Troco. Cada instituição financeira determina quanto vai cobrar por retiradas extras.

Conclusão

Como você viu neste artigo, existem alguns casos em que é necessário pagar tarifa do Pix. São situações em que o sistema é usado comercialmente, via cartão de crédito ou após o limite de retiradas gratuitas.

Nossa recomendação é que você sempre tenha atenção às mensagens do seu app quando fizer uma transação para garantir que não pagará taxa. Além disso, opte por usar um app que não faz a cobrança, como o RecargaPay.

Além disso, tenha atenção para que seu uso do Pix não se caracterize nas regras comerciais para evitar a cobrança.

Perguntas Frequentes

1. Qual o valor da tarifa de Pix?

2. Pode cobrar tarifa de Pix?

3. Quais bancos estão cobrando taxa do Pix?

4. É verdade que o Pix vai ser cobrado em 2023?

5. Até quando o Pix vai ser gratuito?

07-LEA-JUN26