Posso fazer um Pix pra minha conta?

Para fazer um Pix para a sua própria conta você vai precisar:

O Pix é um sistema de pagamentos instantâneos criado pelo Banco Central em 2020. Ele permite realizar transferências e pagamentos em tempo real, 24 horas por dia, sete dias por semana. Sua aceitação na sociedade é expressiva, contando com mais de 138 milhões de usuários e um volume de mais de 3 bilhões de transações mensais.

Dada a popularidade do Pix, é importante que você saiba como utilizá-lo para fazer transferências para suas próprias contas, movimentando seu dinheiro de maneira mais ágil e prática. 

Por exemplo, alguns bancos e aplicativos oferecem descontos para o uso do saldo na conta. É o caso do RecargaPay, que permite pagar contas com desconto utilizando o saldo disponível.

Quer saber como fazer um Pix para sua própria conta usando o RecargaPay? Veja o passo a passo abaixo!

  1. 1 – Baixe o RecargaPay

    Baixe o aplicativo RecargaPay em seu smartphone

  2. 2 – Cadastre uma chave Pix

    Cadastre sua chave Pix no aplicativo, escolhendo entre CPF/CNPJ, e-mail, número de celular ou chave aleatória

  3. 3 – Volte para o RecargaPay

    No RecargaPay, acesse a opção “Pix” no menu principal e depois escolha a opção “Receber Pix” e selecione a chave cadastrada anteriormente

  4. 4 – Copie o código gerado

    Copie o código gerado ou compartilhe o QR Code com o aplicativo ou banco onde deseja realizar a transferência

  5. 5 – Vá para o aplicativo do outro banco

    Vá para o outro aplicativo do banco e cole o código copiado ou escaneie o QR Code compartilhado e confirme a transferência

  6. 6 – Confirme a transferência

    Vá para o outro aplicativo do banco e cole o código copiado ou escaneie o QR Code compartilhado e confirme a transferência

Qual chave cadastrar para fazer Pix pra minha conta?

Antes de mais nada, vale lembrar que não existe uma melhor chave Pix, mas sim aquela que é mais indicada para determinada situação.

As chaves Pix podem ser divididas em quatro categorias principais: CPF, e-mail, telefone e chave aleatória. Cada uma delas tem suas particularidades, e é importante conhecê-las para saber qual delas se encaixa melhor em cada contexto.

O CPF como chave Pix é mais formal e, geralmente, usado para identificar a pessoa em casos de processos, pagamento de indenizações e pensões, além do salário. Já a chave de e-mail é mais informal e pode ser utilizada para transações entre amigos e conhecidos. 

Enquanto a chave de telefone segue a mesma lógica do e-mail, sendo uma opção prática para transações entre pessoas que se conhecem.

A chave aleatória, por sua vez, é mais privada e deve ser usada para pagar e receber de estranhos. Ela é gerada automaticamente pelo sistema e não possui relação direta com os dados pessoais do usuário, garantindo maior segurança e privacidade nas transações.

É importante ter pelo menos uma chave de cada tipo cadastrada e ter uma chave no mínimo para cada conta que tiver. Dessa forma, você pode mover o dinheiro mais facilmente e ter maior flexibilidade nas transações financeiras. 

Além disso, o número de chaves Pix cadastradas já é mais do que o dobro da população, mostrando a popularidade e a importância dessa modalidade de pagamento.

Quanto posso transferir?

O Pix é um sistema bastante disponível e livre, permitindo que seus usuários façam transferências e pagamentos de maneira rápida e prática. No entanto, é importante ressaltar que existem limites para os valores que podem ser transferidos.

O limite diário e mensal do Pix é estabelecido por cada instituição financeira. O Banco Central permite que cada instituição determine seu próprio limite por default para os usuários. No caso do RecargaPay, por exemplo, o limite é de R$20 mil por dia e R$40 mil por mês. Já bancos tradicionais costumam utilizar uma porcentagem do valor do TED como limite, estabelecendo assim os valores máximos que podem ser transferidos.

Caso o usuário deseje transferir 50 mil pelo Pix, será necessário solicitar a alteração do limite junto à instituição financeira. Para aumentar o limite de Pix, a aprovação pode levar de 24 a 48 horas, enquanto a diminuição do limite é imediata.

Além disso, existe o Pix Noturno, que possui limitações específicas para transferências realizadas durante a noite. Nesse período, o usuário pode enviar até R$1.000. Conforme as novas regras do Pix estabelecidas em 2023, é possível escolher se o horário Noturno começa às 20h ou 22h, de acordo com a preferência do cliente.

Quem pode ter Pix?

O Pix oferece uma série de benefícios para os usuários, como rapidez, praticidade e menor custo nas transações financeiras. Para entender melhor o funcionamento do Pix, acesse o artigo O que é Pix.

Em relação a quem pode utilizar o Pix, esse sistema é bastante inclusivo e abrangente. Para aderir ao Pix, é necessário cumprir alguns requisitos estabelecidos pelo Banco Central, conforme as regras de adesão. Dentre esses requisitos, podemos destacar:

  • Ser cliente de uma instituição financeira participante do Pix. Isso inclui bancos, instituições de pagamento e cooperativas de crédito, entre outros
  • Possuir uma conta corrente, conta de pagamento ou conta poupança na instituição financeira
  • Ter acesso a uma plataforma digital, como aplicativo de celular ou internet banking, para realizar as operações financeiras

O Pix está disponível tanto para pessoas físicas quanto para pessoas jurídicas, e não há restrição quanto à idade mínima para utilização do serviço. 

No entanto, é importante verificar as condições específicas de cada instituição financeira quanto à abertura de contas para menores de idade.

É possível parcelar o Pix?

Sim, é possível fazer um Pix para a conta mesmo que não tenha dinheiro disponível no momento, graças ao Pix Parcelado. Essa modalidade permite que o usuário realize a transferência utilizando o cartão de crédito, o que facilita o pagamento em diversas situações.

O Pix parcelado funciona da seguinte forma: o usuário faz o Pix usando o cartão de crédito, e o dinheiro sai do saldo disponível no cartão, sendo lançado na fatura como se fosse uma compra. Para quem recebe, nada muda. Porém, para quem paga, o valor fica dividido em até 12 vezes.

Vale lembrar que o Pix parcelado é uma operação de crédito, e, portanto, há incidência de juros. Cada aplicativo que permite fazer Pix com cartão de crédito cobra uma taxa específica. A menor taxa do mercado é oferecida pelo RecargaPay: 3,49% para usuários Prime+ e 3,99% para usuários comuns.

Agora, confira a lista ensinando como fazer Pix com cartão de crédito no RecargaPay:

  • Baixe o app RecargaPay e crie sua conta
  • Cadastre seu cartão de crédito no aplicativo
  • Selecione a opção “Pix” no menu principal
  • Escolha a opção “Pagar com Pix”
  • Informe a chave Pix do destinatário ou escaneie o QR Code
  • Insira o valor da transferência
  • Selecione a opção “Cartão de Crédito” como forma de pagamento
  • Escolha o número de parcelas desejado
  • Confirme a operação e pronto

Só dá para enviar dinheiro no Pix imediatamente?

Não, não é necessário enviar dinheiro pelo Pix imediatamente. O usuário tem a opção de programar o envio do Pix para sua conta em uma data futura, utilizando o Pix Agendado.

Com o Pix Agendado o usuário programa um envio de dinheiro para uma data futura, podendo ser agendado em até 60 dias após a programação. É importante lembrar que, no dia do agendamento, caso não haja recursos disponíveis na conta, a operação será cancelada automaticamente.

O Pix agendado cai nas primeiras horas do dia programado. Até o momento do envio, o Pix Agendado pode ser facilmente cancelado com um simples clique, sem maiores problemas. No entanto, uma vez que o Pix tenha sido enviado, não é possível cancelá-lo.

Portanto, o Pix Agendado oferece uma alternativa conveniente para quem deseja programar transferências e pagamentos para datas futuras, garantindo maior controle financeiro e praticidade no gerenciamento de suas transações.

Tem risco de usar o Pix?

O Pix é um sistema seguro do ponto de vista técnico, e é por isso que já conquistou tantos usuários no Brasil. A segurança do Pix é garantida por diversos métodos de proteção criados pelo Banco Central, como criptografia e segurança digital.

O sistema funciona com proteção por camadas, garantindo a segurança em diferentes aspectos. Há proteções para a identidade do usuário, como o uso de certificado digital ou token por todos os aplicativos participantes. 

Além disso, existem proteções técnicas no sistema, como a criptografia nos aplicativos e no servidor do Banco Central. Há também métodos para recuperar o dinheiro em caso de falhas e golpes, como o Mecanismo Especial de Devolução.

Todos os envios de dinheiro pelo Pix são perfeitamente rastreáveis e identificáveis pelo Banco Central e pelas instituições financeiras participantes, o que contribui para a segurança do sistema.

No entanto, é importante mencionar que o único risco atrelado ao Pix são os golpes e sequestros realizados por quadrilhas especializadas. Esses casos ocorrem porque é impossível remover completamente o elemento humano do sistema. No entanto, fora essas atividades criminosas, o sistema é considerado seguro.

Conclusão

Neste artigo, abordamos diversos aspectos do Pix, o sistema de pagamentos instantâneos brasileiro que tem revolucionado a forma como realizamos transações financeiras. Discutimos os diferentes tipos de chaves Pix, os limites de transferência, quem pode usar o serviço, opções como Pix Parcelado e Pix Agendado, e a segurança envolvida no uso do Pix.

Recomendamos aos leitores a explorarem as vantagens do Pix em suas vidas cotidianas, considerando o cadastro das chaves mais adequadas às suas necessidades e aproveitando as facilidades proporcionadas pelo sistema, como o Pix Parcelado e o Pix Agendado. Como também, é importante estar atento aos limites de transferência e às regras de segurança para garantir uma experiência segura e eficiente com o Pix.

Por fim, um lembrete fundamental: a segurança é um aspecto crucial ao utilizar o Pix. Portanto, certifique-se de seguir as orientações de segurança, como proteger suas informações pessoais e financeiras, e ficar atento aos riscos de golpes e fraudes. Dessa forma, você poderá desfrutar de todas as facilidades e benefícios do Pix com tranquilidade e segurança.

Perguntas Frequentes

1. O que é Pix e como funciona?

O Pix é um sistema de pagamentos instantâneos criado pelo Banco Central que permite a transferência de dinheiro em tempo real entre contas bancárias de diferentes instituições financeiras, usando apenas a chave Pix do destinatário.

2. Quais são os tipos de chaves Pix disponíveis?

Os tipos de chaves Pix disponíveis são: CPF/CNPJ, e-mail, número de celular e chave aleatória.

3. Qual é o limite de transferência do Pix?

Cada instituição financeira define seu próprio limite para transferências via Pix, mas o Banco Central estabelece um limite máximo de R$1 milhão por transação para pessoas jurídicas e R$5 mil por transação para pessoas físicas.

4. O Pix é seguro?

Sim, o Pix é seguro do ponto de vista técnico, pois utiliza diversas camadas de proteção, como criptografia e segurança digital, além de permitir a identificação do usuário e rastreabilidade das transações.

5. Como fazer um Pix parcelado?

Para fazer um Pix parcelado, basta selecionar a opção no aplicativo da instituição financeira, informar o valor e o cartão de crédito que será utilizado, e escolher o número de parcelas. É importante lembrar que há incidência de juros nessa modalidade.