Pix é seguro? Veja 4 medidas de proteção

Para garantir a segurança das transações, o Banco Central do Brasil implementou alguns mecanismos, tais como: 

O Pix é uma inovação no sistema financeiro brasileiro que tem conquistado cada vez mais usuários, graças à sua agilidade, praticidade e, principalmente, segurança. De acordo com dados oficiais, o número de usuários do Pix já ultrapassa os 51 milhões, o que demonstra a confiança da população neste sistema. 

Além dos bancos tradicionais, o Pix pode ser realizado em plataformas financeiras, como o RecargaPay, que inclusive permite parcelar o Pix em até 12x no cartão de crédito. Para se ter uma ideia, ele está entre os 7 melhores apps para fazer Pix com cartão de crédito.

Neste artigo, abordaremos em detalhes como o Pix funciona, suas propriedades e como os usuários podem enviá-lo. 

Além disso, explicaremos como é possível utilizar o Pix com cartão de crédito, assim como os mecanismos de segurança implementados pelo Banco Central e como eles contribuem para a confiabilidade do sistema.

1) O sistema confirma de identidade do usuário

Um dos principais pilares de segurança do Pix é o sistema de confirmação de identidade do usuário. Antes de realizar qualquer transação, é necessário que a pessoa se identifique por meio de suas credenciais bancárias, garantindo a autenticidade e a proteção dos envolvidos na operação.

Esse processo de identificação é crucial para prevenir fraudes e garantir a integridade das informações. Como ainda, os dados enviados para o recebedor durante a transação funcionam como um comprovante de recebimento, o que proporciona ainda mais confiabilidade às operações realizadas pelo Pix.

A confirmação de identidade é um passo fundamental para assegurar que o sistema continue sendo uma alternativa segura e eficiente de transferências e pagamentos instantâneos, conquistando cada vez mais a confiança dos usuários.

2) Os dados são criptografados

A criptografia é outro componente fundamental para garantir a segurança das transações realizadas por meio do Pix. Esse processo consiste em codificar os dados, tornando-os ilegíveis para pessoas não autorizadas e protegendo as informações de eventuais interceptações.

No momento do pagamento via Pix, as informações dos usuários são criptografadas, o que proporciona maior segurança tanto para quem envia quanto para quem recebe os recursos. A identificação do usuário é preservada e apenas as partes envolvidas na transação têm acesso aos dados decodificados.

A adoção de criptografia avançada no sistema Pix é um diferencial importante para assegurar a privacidade e a proteção dos dados dos usuários. Essa tecnologia contribui para a construção de um ambiente de confiança e segurança, permitindo que cada vez mais pessoas optem pelo Pix como método de pagamento e transferência.

3) Limite o valor de transferência pelo Pix

O limite de valor de transferência pelo Pix é mais um mecanismo de segurança estabelecido pelo Banco Central (BC) para proteger os usuários e suas transações financeiras. Com a definição de um “limite de Pix por dia“, é possível evitar fraudes e prejuízos financeiros significativos.

No início deste ano, o BC aprimorou os mecanismos de segurança do Pix e realizou algumas mudanças nos limites de transferência. Essas alterações foram implementadas com o objetivo de aumentar a proteção dos usuários e adaptar o sistema às necessidades e comportamentos do público.

Uma das mudanças significativas foi a possibilidade de customizar o limite noturno para cada chave Pix e cada banco utilizado. Isso permite aos usuários estabelecerem limites específicos de acordo com suas preferências e necessidades.

Para ajustar o limite noturno de transferências pelo Pix, siga os passos abaixo:

  • Acesse o aplicativo ou site do seu banco
  • Navegue até a seção de gerenciamento do Pix
  • Localize a opção de ajuste de limites
  • Selecione a opção para customizar o limite noturno
  • Insira o valor desejado para o limite noturno
  • Confirme a operação seguindo as instruções do banco

A customização do limite de transferência pelo Pix contribui para um ambiente financeiro mais seguro, permitindo que cada usuário estabeleça seus próprios parâmetros de proteção de acordo com seu perfil e necessidades. Dessa forma, o sistema se torna ainda mais confiável e adaptável às exigências do mercado.

4) Mecanismos de monitoramento antifraude

Os mecanismos de monitoramento antifraude são fundamentais para garantir a segurança das transações realizadas pelo Pix. Eles atuam na prevenção e identificação de atividades suspeitas, como tentativas de fraude, lavagem de dinheiro e outros tipos de irregularidades.

Esses sistemas monitoram todas as operações realizadas por meio do Pix de um banco para outro, em tempo real, analisando padrões de comportamento e alertando as instituições financeiras e os usuários em caso de suspeitas.

Além do monitoramento antifraude, o Banco Central também implementou o Mecanismo Especial de Devolução (MED). Ele permite que os usuários solicitem a devolução de valores transferidos pelo Pix em caso de suspeita de fraude ou erro no envio dos recursos.

Para utilizar o MED, siga os seguintes passos:

  • Entre em contato com o seu banco e informe a ocorrência de fraude ou erro na transação
  • O banco analisará a solicitação e, caso seja constatada a fraude ou erro, enviará uma solicitação de devolução à instituição financeira do recebedor
  • A instituição financeira do recebedor terá um prazo para analisar a solicitação e decidir sobre a devolução dos recursos
  • Em caso de aprovação, o valor será devolvido à conta do usuário que realizou a transferência

É importante ressaltar que a solicitação de devolução pelo MED deve ser realizada em até 90 dias após a transação, e a decisão final sobre a devolução do valor é de responsabilidade das instituições financeiras envolvidas.

Com a implementação desses mecanismos, o Pix se consolida como um sistema seguro e confiável, garantindo a proteção dos usuários e a integridade das transações financeiras realizadas no país.

Como o sistema de segurança mantém o Pix seguro?

O Pix é um método de pagamento e transferência instantânea criado pelo Banco Central do Brasil, que tem como objetivo facilitar as transações financeiras entre pessoas, empresas e instituições. Mas, afinal, o que é Pix e como seu sistema de segurança mantém as operações seguras?

O sistema de segurança do Pix é composto por diversos mecanismos que visam proteger o usuário e garantir a integridade das transações. Entre os principais mecanismos estão: a confirmação de identidade, a criptografia dos dados, o limite de transferência e o monitoramento antifraude.

Cada um desses mecanismos desempenha um papel importante na proteção do usuário e na prevenção de fraudes e irregularidades. Por exemplo, a confirmação de identidade garante que apenas pessoas autorizadas possam realizar transações, enquanto a criptografia protege as informações dos usuários durante o processo.

Outra medida de segurança implementada pelo Banco Central é o limite noturno. Esse limite visa reduzir o risco de fraudes e golpes durante o período noturno, quando os usuários podem estar menos atentos às suas transações. Ademais, os limites noturnos podem ser customizados de acordo com as necessidades e preferências de cada usuário, garantindo maior controle sobre as operações realizadas.

O bloqueio cautelar é mais um mecanismo de proteção criado pelo BC. Esse recurso permite que as instituições financeiras bloqueiem preventivamente uma transação suspeita, evitando que recursos sejam transferidos em casos de fraude ou atividades ilegais. Após o bloqueio, a instituição financeira tem um prazo para analisar a situação e decidir se a transação deve ser liberada ou cancelada definitivamente.

Todos esses mecanismos trabalham em conjunto para garantir que o Pix seja um sistema seguro e confiável, proporcionando aos usuários a tranquilidade necessária para realizar transações financeiras de maneira rápida e eficiente.

Dicas para não cair em golpes do Pix

Apesar de o Pix ser um sistema seguro e confiável, é importante estar atento aos golpes que exploram o descuido do usuário. Para ajudar na proteção, apresentaremos informações sobre os golpes mais comuns e dicas de como evitá-los. Afinal, saber qual é a melhor chave Pix também envolve aprender a se proteger de fraudes.

Golpes mais comuns e como se proteger:

  • Comprovante falsificado: eles enviam comprovantes Pix forjados. Verifique o extrato bancário e confirme o crédito antes de liberar produtos ou serviços. Suspeite de comprovantes com erros ou informações inconsistentes
  • Golpe do Pix agendado: golpistas alegam ter realizado um Pix agendado, inexistente no sistema atual. Desconfie de quem afirmar ter feito um Pix agendado
  • Golpe pelo WhatsApp: criminosos se passam por funcionários de bancos ou empresas, solicitando dados pessoais, senhas ou chaves Pix. Não compartilhe informações e desconfie de mensagens pedindo dados sensíveis

Dicas de segurança para evitar golpes no Pix:

  • Mantenha seus dados pessoais e bancários em sigilo
  • Não compartilhe senhas ou chaves Pix com terceiros
  • Verifique a autenticidade do comprovante de transferência antes de liberar produtos ou serviços
  • Desconfie de mensagens solicitando informações pessoais ou financeiras, especialmente se vierem de números desconhecidos ou não cadastrados
  • Em caso de dúvidas, entre em contato com o seu banco ou a instituição financeira responsável pelo seu Pix

Destaca-se que o sistema Pix em si é seguro, e os golpes geralmente acontecem devido ao descuido do usuário.

Use o Pix anônimo

O Pix anônimo é uma opção mais segura para realizar transações financeiras, garantindo maior privacidade e proteção das informações pessoais do usuário. Ao utilizar a chave aleatória Pix, você evita compartilhar dados como CPF ou número de celular nas transações

Por que o Pix anônimo é mais seguro? Ao usar chaves Pix com CPF ou número de celular, essas informações podem ser expostas a pessoas desconhecidas durante as transações, aumentando os riscos de golpes e fraudes. Optando pela chave aleatória Pix, você utiliza um código único e gerado aleatoriamente, garantindo maior privacidade e dificultando o acesso de criminosos aos seus dados pessoais.

Além de utilizar o Pix anônimo, é importante adotar práticas de segurança no internet banking, como:

  • Usar senhas fortes e não compartilhá-las com terceiros
  • Manter o antivírus atualizado no dispositivo utilizado para acessar o internet banking
  • Evitar acessar o internet banking em redes Wi-Fi públicas ou compartilhadas
  • Não clicar em links suspeitos ou desconhecidos em e-mails, SMS ou redes sociais

Passo a passo para criar e utilizar o Pix anônimo.

  • Acesse o internet banking ou aplicativo da sua instituição financeira
  • Vá até a área do Pix e escolha a opção para criar uma nova chave
  • Selecione a opção de “Chave aleatória” ou “Chave do tipo EVP” (Endereço Virtual de Pagamento)
  • A instituição financeira irá gerar um código único e aleatório, que será a sua chave Pix anônima
  • Confirme a criação da chave e aguarde a finalização do processo
  • Para utilizar o Pix anônimo, basta informar essa chave aleatória ao solicitar ou receber pagamentos pelo Pix

Optando pelo Pix anônimo e seguindo as dicas de segurança, você garante maior proteção e privacidade nas suas transações financeiras, reduzindo os riscos de golpes e fraudes.

Nunca envie dados pessoais para estranhos

É fundamental estar atento à segurança das informações pessoais, principalmente ao utilizar sistemas de pagamento como o Pix. Os golpes do Pix podem ocorrer de diversas formas, sendo um dos mais comuns o golpe pelo WhatsApp. 

Neste golpe, criminosos se passam por funcionários de bancos, instituições financeiras ou empresas solicitando informações pessoais, senhas ou chaves Pix. Com esses dados em mãos, os golpistas podem realizar transações financeiras indevidas, causando prejuízos às vítimas.

Como se proteger dos golpes do Pix e manter seus dados seguros:

  • Desconfie de mensagens não solicitadas: evite fornecer informações pessoais ou financeiras a números desconhecidos
  • Não compartilhe dados pessoais: não forneça informações pessoais, senhas ou chaves Pix a desconhecidos, mesmo que falem serem funcionários de instituições financeiras ou empresas
  • Verifique a autenticidade do contato: confirme a identidade do remetente, ligando para a instituição financeira ou empresa mencionada na mensagem
  • Mantenha seu dispositivo seguro: use antivírus atualizado e evite clicar em links suspeitos ou instalar aplicativos de fontes não confiáveis
  • Acompanhe suas transações: monitore suas contas e transações financeiras regularmente

É possível se proteger dos golpes do Pix e manter suas informações pessoais e financeiras em segurança. Lembre-se: a prevenção é a melhor estratégia para evitar fraudes e golpes.

Use autenticação de 2 fatores

A autenticação de dois fatores tem como objetivo confirmar a identidade da pessoa que está realizando uma transação Pix. Isso é feito ao exigir uma segunda informação além da senha bancária, tornando o processo mais seguro e dificultando o acesso de criminosos às suas informações financeiras

Para utilizar a autenticação de dois fatores, siga os passos abaixo:

  • Acesse o aplicativo ou site do seu banco e procure pelas configurações de segurança
  • Ative a opção de autenticação de dois fatores (2FA). O processo pode variar dependendo do banco
  • Ao realizar uma transação Pix, além de inserir sua senha bancária, será solicitado fornecer o código de confirmação gerado pelo aplicativo ou enviado por SMS.
  • Insira o código para confirmar sua identidade e concluir a transação.

A autenticação de dois fatores pode ser realizada em diversos dispositivos, como smartphones, tablets ou computadores, e geralmente é feita por meio de aplicativos específicos, como o Google Authenticator, ou via SMS.

Outra conta pode cadastrar a minha chave Pix?

A preocupação com a segurança das chaves Pix é fundamental, e uma das dúvidas comuns é se outra conta pode cadastrar a mesma chave

Antes de mais nada saiba que não é possível cadastrar a mesma chave em duas contas distintas. Isso ocorre porque cada chave Pix é única e vinculada a uma única conta. O objetivo dessa exclusividade é garantir a segurança e evitar fraudes no sistema de pagamentos.

Atualmente, existem quatro tipos de chaves Pix, conforme a lista a seguir:

  • CPF ou CNPJ, é possível o cadastro do número do documento como chave
  • Número de celular
  • E-mail
  • Chave aleatória, que gera um código alfanumérico único

Dentre essas opções, a chave aleatória é considerada a mais segura. Isso se deve ao fato de não estar diretamente vinculada a informações pessoais do usuário, como CPF, e-mail ou número de celular, reduzindo o risco de exposição de dados sensíveis.

Além disso, existem 5 formas de pagamento Pix, como também do registro e uso de chaves Pix, o sistema oferece diversas formas de realizar pagamentos, como:

  • Pix Copia e Cola: permite copiar e colar um código QR Code ou um link gerado pelo recebedor
  • Pix QR Code: o pagador escaneia o QR Code gerado pelo recebedor
  • Pix Manual: você insere manualmente os dados do recebedor no aplicativo
  • Pix por aproximação: utiliza a tecnologia NFC para efetuar pagamentos aproximando os dispositivos
  • Pix por chave: o pagador utiliza a chave cadastrada do recebedor para efetuar o pagamento

Conclusão

Em suma, o Pix oferece um sistema seguro de transferências e pagamentos, garantindo a proteção dos usuários por meio de mecanismos como confirmação de identidade, criptografia de dados, limites de transferência e monitoramento antifraude. Como ainda, o uso de chaves anônimas e a autenticação de dois fatores proporcionam camadas adicionais de segurança, protegendo as informações pessoais e financeiras dos usuários.

Recomendamos que os usuários sigam as dicas de segurança mencionadas ao longo do texto, como nunca compartilhar dados pessoais com estranhos e se manter atento a possíveis golpes. Ao adotar essas práticas e utilizar as ferramentas de proteção disponíveis, é possível aproveitar os benefícios do Pix com tranquilidade e confiança.

Conclui-se que o Pix é uma excelente solução para facilitar o dia a dia das pessoas, desde que seja utilizado de forma consciente e responsável. A combinação das medidas de segurança implementadas pelo Banco Central e a adoção de práticas seguras pelos usuários resulta em um sistema confiável, ágil e eficiente, consolidando o Pix como uma opção vantajosa no mercado financeiro.